Vaquejada do Milhão valoriza cordelistas alagoanos

14 de Dezembro de 2018, 12:03

Concurso de Literatura de Cordel Vale Rico é destaque e premia mestres e artistas

O I Concurso de Literatura de Cordel Vale Rico foi destaque na Vaquejada do Milhão, no dia 8 de dezembro, no Parque Vale Rico. Mestres cordelistas, artistas e estudiosos da cultura e artes alagoanas estiveram presentes ao evento.

Foram premiados cinco cordelistas nas categorias Comédia, Ficção e Política. Os inscritos no concurso passaram pela avaliação dos jurados nos quesitos métrica, rima, desenvolvimento e apresentação.

“É uma honra julgar trabalhos de grande valor como dos cordelistas alagoanos. Que outros concursos surjam. Só temos que agradecer pela realização do concurso e a iniciativa de valorizar a cultura alagoana”, afirmou Daniela Santos, estudiosa e pesquisadora da literatura de cordel.

Na categoria Ficção o vencedor foi o Ruy Rodrigues com o cordel “A Cruz de Cada Um”. Nas categorias Comédia e Política houve empate. Na comédia o prêmio de melhor cordel ficou com os mestres cordelistas Jorge Calheiros (“O Crente e o Cachaceiro) e Pedão (Casei Enganado).

Na Política a premiação foi para Ademir Santana (“A Lei Maria da Penha”) e Jorge Calheiro (“O Pobre e a Medicina”).

Única mulher no concurso, a cordelista Rosana Oliveira ganhou, por decisão dos jurados, a Menção Honrosa com o cordel “Zé Taboca, o Trocador”.

“Iniciativa como está chega para valorizar à Literatura de Cordel e à cultura alagoana, tão carentes de reconhecimento. A Vaquejada do Milhão e o Parque Vale Rico estão de parabéns pela iniciativa”, declara o cordelista Jorge Calheiros, que é natural de Pilar.

Nas categorias Comédia e Política o prêmio foi dividido, por conta do empate. Cada vencedor ganhou R$ 250,00 em dinheiro e a impressão de 500 exemplares do cordel apresentado.

Na categoria Ficção, Ruy Rodrigues levou uma premiação de R$ 500 e a impressão de 1 mil exemplares do cordel “A Cruz de Cada Um”. Já Rosana Oliveira ganhou a impressão de 500 exemplares do seu cordel “Zé Tabaco, o Trocador”.

Comentários